Notícias

Sinfarpe se posiciona contra jornada espanhola, ainda assim a empresa iniciará a partir de 05/10

05/10/2020

REUNIÃO COM A REDE DE FARMÁCIAS PERMANENTE

120498848_1481098135419129_2013487303498940792_o

O Sinfarpe participou nesta quinta-feira, 01/10, de uma reunião on-line com representantes da Permanente para discutir denúncias recebidas pelo sindicato através dos farmacêuticos da rede, sobre a intenção da empresa em implantar a jornada espanhola (6x1), descumprindo a CCT, contratando profissionais para cumprir essa carga horária e acabar com o regime de plantões. A reunião foi solicitada pela própria rede. O sindicato propôs à empregadora que elaborasse uma minuta de Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), com boas propostas a serem analisadas pela entidade sindical, antes que essa nova prática de trabalho fosse adotada na rede.

Representes da empresa se comprometeram em levar a sugestão ao patronato e dar uma resposta até a tarde desta sexta-feira, 02/10. A decisão do patrão foi não acatar a proposta do Sinfarpe e dar continuidade ao início da nova jornada de trabalho a partir de segunda feira, 05. Com isso, os profissionais veteranos da Permanente vão deixar de receber os plantões e feriados, ferindo como bem frisou a presidente Veridiana Ribeiro na reunião, a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) do segmento de Farmácias e Drogarias.

Caso o ACT fosse elaborado, uma nova rodada de reunião para discussão do instrumento, já estava confirmada entre o sindicato e os representantes da Permanente, para o dia 26 deste mês. O que não será mais viável, levando-se em conta que a empresa implantará a jornada, considerada pelas autoridades de defesa do trabalho, uma carga desumana. “Ficamos decepcionados com a postura da empresa, que não está pensando no bem estar dos trabalhadores, mas apenas em lucros”, frisou Veridiana, já que a desculpa do empresariado para não elaborar um Acordo e dialogar com o sindicato, foi de que os plantões e feriados são onerosos para a rede.

Diante do fato exposto, o Jurídico do Sinfarpe vai analisar o caso e tomar as medidas cabíveis, pois o direito ao valor do plantão está garantido na CCT da categoria, e como o negociado vale sore o legislado, a decisão da Permanente certamente ser judicializada


Veja outras publicações