Hoje é terça, 04 de outubro de 2022    |    Recife / PE    |    Horário de Funcionamento: segunda a sexta das 08:00 às 12:00 e das 13:00 às 17:00

Notícias

Setor farmacêutico tem alto faturamento nos últimos anos no Brasil

31/08/2022

300190485_1986563078205963_1682637839796496761_n

Durante o 10° Congresso da Fenafar, realizado de 3 a 6 de agosto, em Salvador (BA), dados sobre o setor farmacêutico, como o crescimento e o faturamento nos últimos anos no Brasil, chamaram atenção pela discrepância entre os lucros obtidos por este setor e a realidade salarial dos farmacêuticos, que são os profissionais fundamentais para o funcionamento deste segmento econômico.

Os dados foram fornecidos pela economista e doutora, Georgina Dias, supervisora técnica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos da Bahia (DIEESE/BA), que proferiu palestra no evento. De acordo com ela, em 2020, o mercado brasileiro de medicamentos movimentou R$ 76,98 bilhões, significando uma alta de 8,58% em relação ao ano anterior.

O faturamento do varejo farmacêutico subiu de R$ 137,3 bilhões para R$ 152 bilhões de 2020 a 2021, com projeção de alta acumulada até 2023 de 31,58%. Nas palavras dela é um segmento que não para de crescer, pois o Brasil é o principal mercado farmacêutico da América Latina. A palestrante colocou ainda a vital importância do varejo farmacêutico durante a pandemia da covid e o incremento nas vendas do setor, com altos lucros.

"Então, por que o salários de nós farmacêuticos, não acompanham esse cenário? Lutamos por um piso nacional digno e amargamos anos de prejuízo salarial, com trabalhos precários e desvalorizados. Isso nos mostra a necessidade de sermos mais atuantes em nossas reivindicações, o que inclui a rua e paralisações para sermos atendidos em nossas reivindicações. É triste saber que com nosso sangue e suor, de forma exploratória, grandes acionistas enriquecem cada vez mais às custas do achatamento do piso salarial em todos os estados brasileiros, transformando o que é o piso em algo abaixo do piso: viveremos de salários em contrapiso, para o enriquecimento de 'quem não vai numa farmácia, nem para comprar medicamentos, pois para isso manda outro escravo' ”, sintetizou o presidente do SINFARPE, Holdack Velôso, que participou do Congresso e desabafou sobre a situação da categoria em Pernambuco e em todo país.

Sindicato é pra lutar.

Justiça Juntos!


Veja outras publicações